3.4.13

Esculhambação

safra própria


De longe,
cinza e feia.
E cá dentro,
a cidade
-mesmo-
 um buraco cheio de gente
onde a fumaça não se detém.

À estação rodoviária,
logo, a Borges de Medeiros como um formigueiro
com sua arquitetura ruim e o sujo de décadas.
A hostilidade
os olhares da indiferença  
os reais perdidos no comercio desconhecido
esculhambação, é,
é tudo isso
é toda lembrança inquietante
e tudo o que vai trazendo o caminho.

Esculhambação é a gente deitada no chão
na beira mesmo,
de um mar que não é mar e que fede a misérias
e também tem cheiro (só um pouco) á sal
esculhambação é o gelo característico dos caracteres humanos
os sorrisos sem emoções, pra manter a costume
esculhambação é a sacanagem legitimada
e um pouco, só um pouquinho de racismo
o suficiente pra que as vezes saia entre os dentes
desde muito dentro das vísceras.
Esculhambação é um porto triste e é um formoso pôr-do-sol.

1 comentario:

  1. Esculhambação é a delicia de ter tantas coisas na mente e conseguir escrever um poema como este...

    A.

    ResponderEliminar

Favor combatir la idea y no al mensajero, gracias!