5.11.13

Sou bagual que não se entrega, assim no más!

Após de jogo Guasca-Osorio. Comemorando o dia da independência de Panamá de Colômbia/ Después del juego Guasca-Osorio. Celebrando el día de la independencia de Panamá de Colombia. 
            Antes de chegar ao Brasil a gente em Panamá falava para mim que eu vinha para cá a jogar futebol, dançar samba e pegar mulheres (...) eu somente sorria hipocritamente. A realidade fica muito distante daquele preconceito e como diz o Criolo “o mundo real não é um Rancho da Pamonha”... Tem sido um tempo ruim para o amor, tenho escutado muito rock e conheci a musica de Cesar Oliveira e Rogério Melo (nunca consegui sambar direito). Não vou negar que tem sido um tempo bom para a diversão, mas na verdade estou estudando, escrevendo, aprendendo, com o foco ligado. Em relação ao esporte, eu sempre fui um péssimo jogador de futebol joguei sim uma ou duas vezes aqui, ruim para variar, mas descobri um esporte maravilhoso chamado Rugby e acho que não sou tão ruim neste outro, pelo menos da para vestir com orgulho a camiseta de um Time chamado Guasca.
            A palavra Guasca tem vários significados, eu gosto de aquele que diz o seguinte: “Diz-se de individuo que é guapo, esperto.” Mas para mim a palavra Guasca vai além disso. Guasca para mim é uma palavra que dá profundidade à minha própria ideia da palavra Time, Guasca é para mim um grupo de irmãos de mães diferentes, Guasca para mim é um monte de loucos que dizem que o chapéu Panamá é de Panamá ainda que eu explicasse para eles que o Chapéu Panamá é de Ecuador, Guasca para mim é o treino da segunda, da quarta, do sábado, os jogos, as lesões, os try´s, as lágrimas e as risadas, Guasca é os gaúchos carregando a bandeira do meu distante país como se fosse à de Brasil ou Rio Grande do Sul. Para quem conhece o orgulho gaúcho sabe que isso é demais.  
            Eu poderia até esperar a ir embora do Brasil para fazer este post, mas acho que não adianta aquilo, acho que Guasca merece esta entrada. Muito obrigado Gurizada!

-----

            Antes de llegar a Brasil la gente de decía que yo venía para acá a jugar fútbol, a bailar samba y a levantarme mujeres (….) yo solamente sonreía. La realidad está bien distante de aquel prejuicio, como se dice por acá “el mundo real no es las bolitas del McDonalds". Ha sido un tiempo difícil para el amor, he escuchado mucho rock y conocí la música de Cesar Oliveira (nunca logré bailar samba bien), no voy a negar que me he divertido, pero en verdad estoy estudiando, escribiendo, aprendiendo, bien enfocado.  Con relación al deporte, siempre fui un pésimo jugador de fútbol, aquí jugué una o dos veces, mal para variar, en compensación descubrí un maravilloso deporte llamado Rugby y creo que no soy tan malo acá, por lo menos ha dado para vestir con mucho orgullo la camiseta de un Equipo llamado Guasca.  
La palabra Guasca tiene varios significados, el que más me gusta es aquel que dice esto: “dícese de individuo guapo, sagaz.” Pero en mi concepto la palabra Guasca va más allá. Guasca para mi es una palabra que da profundidad a mi idea de la palabra Equipo, Guasca es para mí un grupo de hermanos de madres diferentes, Guasca para mí es un poco de tipos locos que dicen que el sombrero Panamá es de Panamá aun cuando ya les expliqué que el sombrero Panamá es de Ecuador, Guasca para mi es el entrenamiento los lunes, los miércoles y los sábados, los juegos, las lesiones, los try´s, las lágrimas y las sonrisas, Guasca es los gaúchos cargando la bandera de mi distante país como si fuese la de Brasil o la del Estado de Rio Grande do Sul. Para quien conoce a los gaúchos sabe que eso ya es bastante.

            Podría haber esperado a irme de Brasil para hacer este post, pero creo que eso no sería correcto porque considero de Guasca merece esta entrada. ¡Muchas gracias Muchachos!    

3 comentarios:

  1. Baita texto João, O Guasca e o Rugby são sinônimos de orgulho, superação, amizade e irmandade! Mesmo que quando tu voltar para o Panamá seras sempre um Bagual que não se entrega e aqui sempre terás irmãos!

    ResponderEliminar
  2. Grande, Panamenho! Mesmo a realidade sendo diferente, por já ser daqui, tu falou tudo sobre o Guasca e o rugby. O que imaginava que seria um time virou uma família, onde acima de qualquer coisa o estar junto, seja treinando, jogando ou mesmo rindo e se divertindo é o que vale pra quem tá ali.
    Sobrr futebol, se quiser dar uma olhada no todacancha.com, onde volta e meia escrevo com mais uma galera, ali tu encontra o outro lado do futebol daqui, aquele que fica fora da mídia e tem que se virar pra sobreviver (bem parecido com a gente no rugby!).
    Abração, meu velho!

    ResponderEliminar

Favor combatir la idea y no al mensajero, gracias!