6.10.14

Quinta


            Lazer é o diabo.  No Bar Farroupilha, na Fernando Machado 899, bebi  998 copos de uísque, sempre tava o Márcio, mas cedinho só o Caué limpando as mesas, cobrando a grana e fornecendo cevas e cachaças, velhos alcoolistas, gauchada de chapéu na moda do pampa, botas de couro, bombacha  e faca no cinto, falando de outros tempos que nem viveram, Revolução Farroupilha e guerras contra argentinos e jesuítas, a conversa foi legal por vezes, mas comecei ler algumas coisas da história de Rio Grande do Sul tipo Capitania d´El Rey do Moises Velinho ou Origens da Economía Gaúcha (o boi e o poder) do Guilhermino Cesar e tomei conta que não tem assunto mais irreal do que papo de boteco. Algumas vezes caminhando desde o Centro pra casa, desviava pra lá. A escusa era ir a ler o Zero Hora e mesmo lia, e mesmo ia registrando mais um copo de uísque na conta, ou dois, ou cinco e após disso ia com as mãos no bolso da calça ou do casaco até a casa, às vezes feliz, a maioria do tempo triste, mas sempre cheguei. Quando ficava muito tarde ia bem na manha com o canivete na mão e olhando pra todo o mundo, nos olhos, só esperando, mas a Deus graças ninguém saiu furado; outras noites ficava li na Cidade Baixa esperando alguma coisa legal acontecer, uma vez, por exemplo uns jornalistas bêbados começaram a falar comigo e notaram o sotaque e fiquei bebendo com eles umas cevas artesanais na Pinacoteca, ou na Marcha da Maconha, nessa havia um monte de gente chapada gritando: Dilma-Rouseff(e)-legaliza-o-béque!!! No Gasômetro o negócio era bem mais saudável e só ia lá pra fazer esporte ou pra namorar à Rosy. Uma vez, uns policiais surpreenderam um velho fumando maconha, foi muito bizarro, por alguma razão lembrei ao avô e a fumaça noturna dos vizinhos, eles não fizeram nada nele, só pegaram a maconha sumiram.

            Lembro ter perdido o controle da vida com tanto tempo pra perder. Uma noite sai do bar, tava cedo e o desejo alcoólatra dominou todos meus sentidos, foi no Zaffari e comprei uma garrafa de Velho Barreiro e um vinho ruim da Serra, mas não  lembro como foi que acordei no quarto da pensão e nas garrafas já não tinha coisa nenhuma pra beber.   

No hay comentarios:

Publicar un comentario

Favor combatir la idea y no al mensajero, gracias!